segunda-feira, 17 de abril de 2017

Jardim Suspenso MQ



As flores são uma importante parte das plantas. Mais do que sua função biológica, elas deixam os ambientes coloridos e cheios de vida, atraindo passarinhos com suas formas, cores e perfumes.

Por isso, planejamos um jardim suspenso, contando com a participação de todas as turmas da escola. A parede já estava pintada com pneus desde o início do ano letivo, mas era preciso pensar em uma maneira de envolver os alunos da escola, responsabilizando-os diante da fragilidade desses seres vivos.


Os Repórteres Ambientais Mirins planejaram esse espaço com cuidado. Primeiro fizeram convites e entregaram para as turmas, anunciando que haveria um sorteio de mudas de flores e convocando-os para os cuidados necessários para que esse espaço pudesse atingir seus objetivos.

Com a ajuda da coordenadora Patrícia, as espécies foram escolhidas e adquiridas para o sorteio. Foram pensadas em flores perenes ou de inverno, para deixar a parede bem diversa, por mais tempo. 

Foram preparadas placas com a turma e as flores, permitindo que os alunos exercitem a leitura ao conhecerem essas plantas. Para a finalização do Jardim Suspenso, foram chamados representantes de cada turma, que plantaram suas mudas com a ajuda dos Repórteres Ambientais Mirins.

Apesar de termos separado um canteiro para cada turma, todos são responsáveis pela manutenção desse espaço. Tanto oferecendo os elementos que as plantas precisam, como nos cuidados do cotidiano, já que esse espaço é aberto aos alunos durante os recreios.








sábado, 8 de abril de 2017

O Coletivo na Educação Ambiental Escolar: Horta MQ

A Educação Ambiental exige o envolvimento de todos. Algo que parece simples, como o início de uma horta escolar, depende de um esforço coletivo em várias frentes para poder acontecer.



Cada espaço tem a sua caminhada e a articulação de esforços vai expressar o momento de uma comunidade. Na EMEF Maria Quitéria, temos a limitação do espaço físico para o plantio de hortaliças e flores dentro dos muros da escola. 

Diante das limitações, precisamos de muita parceria e criatividade. O local da horta precisava ser de fácil acesso para os alunos em seus cotidianos, Os alunos precisam, pouco a pouco, aprenderem a conviver com as plantas, respeitando-as e contribuindo para que elas possam crescer de forma adequada.



Para a organização dos canteiros, usamos canos de concreto pela metade e pneus. Esse material foi doado para a escola, contando com o apoio para transporte. Usamos materiais de jardinagem adquiridos em 2013, com o FUNDEMA, e tivemos o apoio de famílias e do Parcão com as mudas para iniciarmos a nossa horta.

Com os materiais separados, escolhemos um sábado letivo, onde a escola organizou uma Rua do Lazer, abrindo seus espaços e fechando uma rua lateral para que as famílias pudessem se reunir, tomar chimarrão e conversar, enquanto as crianças brincam com segurança. Enquanto as atividades aconteciam, as famílias presentes foram convidadas a participarem da construção da horta, desde a sua estrutura até a sua finalização.


Com os canteiros posicionados pelos adultos e alguns alunos maiores, era momento de enchê-los. Um pouco de brita no fundo, para ajudar no escoamento da água e cobertura de terra. Tudo foi coletivo, cada um ajudou com o conhecimento que trazia. Desde a posição dos canteiros, a escolha das mudas para cada espaço, o movimento do transporte de mudas, a irrigação com água da chuva, até com ideias que surgiam para as próximas ações... 





Esses foram os primeiros passos do ano, em direção à Horta Escolar. Próximas ações virão!

quarta-feira, 29 de março de 2017

A Transformação do Ambiente


Tivemos mais um encontro do curso "Amigos da Água", oferecido pela COMUSA. Os alunos tiveram que dizer o que entendiam por Meio Ambiente. Só os elementos da natureza fazem parte do meio ambiente? Vejamos:



Os ambientes foram o resultado da dinâmica da natureza por bilhões de anos sem a presença do ser humano. Ali só existiam elementos naturais, como a água, o solo, o ar e seres vivos que vivem em equilibrio com a natureza, como animais e plantas.


 Mas a presença do ser humano começa a modificar esse ambiente. No lugar de animais e árvores, as pessoas começam a surgir. E com o ser humano, chegam construções, tomando o lugar dos elementos naturais, tentando domesticar toda a natureza.

Os alunos fizeram o mesmo movimento, em um painel cheio de árvores e animais, eles tiveram que ir inserindo imagens do ser humano. Para tanto, tiveram que tirar algumas árvores e animais. Em seguida, tiveram que inserir plantações, casas, ruas, veículos e outras construções... assim, mais ávores e mais animais firam sem espaço.




Então, aquele ambiente natural, passou a ser rural e depois urbano. Mas é o mesmo ambiente. A chegada do ser humano alterou significativamente as paisagens, criando um elemento cultural ao ambiente.


Esse foi o grande ensinamento desse encontro: Mesmo cheios de elementos humanos, construções e poluição, nossos ambientes são o que temos para viver. Por isso, devemos sempre cuidar do lugar onde estamos, seja no meio de uma trilha ou no centro de uma cidade, todos são parte da natureza, assim como nós!

Blocos feitos com o Papel Reciclado pelo Grupo

Cada participante personalizou a sua capa e ganhou uma pastinha.